Membros do Nespom realizam estágio de Pesquisa FAPESP na França

Em 2018, a Profa. Maria Jardim conseguiu aprovar com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) duas bolsas BEPE para dois alunos de iniciação científica, visando que estes desenvolvessem seus estágios de pesquisas de iniciação científica com parceiros de instituições com liderança internacional na área.

A modalidade de Bolsa Estágio de Pesquisa no Exterior (BEPE) apoia a realização de estágios de pesquisa de curta e média duração, por bolsistas da FAPESP de Iniciação Científica no exterior. O estágio de pesquisa no exterior é obrigatoriamente parte integrante de bolsa de pesquisa no país, não podendo ser solicitado independentemente,  tendo duração variável, de acordo com a modalidade de bolsa usufruída pelo candidato.

Os alunos contemplados (em ordem alfabética):

Mateus Tobias Vieira (Aluno de graduação em Ciências Sociais): O projeto de pesquisa desenvolvido junto à Université Paris-Sorbonne, sob a orientação do professor Philippe Steiner e da professora Maria Chaves Jardim no Brasil  denomina-se “Construção social do mercado de armas de fogo pequenas e leves no Brasil: um mercado contestado”. Buscou-se, nesse projeto, ampliar a compreensão da teoria geral dos mercados contestados (conceito desenvolvido por Philippe Steiner e Marie Trespeuch), tomando-se por objeto a regulação do mercado de armas de fogo, as contestações de caráter moral (positivas e negativas) havidas em relação à tal mercado, os dispositivos (no sentido foucaultiano) que materializam tais contestações, bem como, compreender quais são as populações afetadas pela emergência ou ocaso do mercado armamentista.

O membro Mateus Tobias, a sociologa Marie Trespeuch e Professor e supervisor Phellipe Steiner (Université Paris-Sorbonne).

Paulo José de Carvalho Moura (Aluno de graduação em Ciências Sociais) : A pesquisa “As políticas de ajuste fiscal na França recente: homologia com o contra-ataque da doxa da austeridade no Brasil”, desenvolvida junto à École Normale Supérieure Paris-Saclay, sob a supervisão do Prof. Frédéric Lebaron, buscou contribuir na pesquisa de iniciação científica desenvolvida no Brasil, sob a orientação da professora Maria Chaves Jardim no âmbito do grupo de pesquisa Núcleo de Estudos e Pesquisa sobre Sociedade, Poder, Organização e Mercado (NESPOM), sobre o ajuste fiscal implementado no segundo Governo Dilma Rousseff, através da perspectiva da Sociologia Econômica que, no caso, visa demonstrar que a política de ajuste fiscal é uma construção social. A comparação com o caso francês ajuda a compreender as justificativas desses planos de austeridade fiscal não como um caso isolado, mas como uma doxa expressa através de moralidades que se encontram enraizadas em elementos sociais.

O Prof. Fredéric Lebaron (Ecole Normale Superieur Paris Saclay) e o membro Paulo Moura.